Pages

sábado, 29 de agosto de 2009

MACABRO

(Francisco C. de Mattos - produzida em 08.08.1981)

Morre-se em cada esquina,
no próprio asfalto.
Morre-se neste bar,
ali... lá...
em qualquer lugar.
Morre-se...
quando já se está morto!
Morremos a cada dia
em que passamos na mesma esquina,
no próprio asfalto que esquenta.
Morro!...
Morres!...
Êta rotina danada de violenta! Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

DA EQUIVOCADA ETIMOLOGIA DE ALUNO* AO BRILHANTISMO DOS MEUS ORIENTANDOS.

Francisco Carlos de Mattos **
Quanto mais nega certas mediocridades do sistema escolar e, entre elas, o silenciamento de práticas contestadoras, melhor é o aluno para a Orientação Educacional, o que não podemos afirmar que também o seja para alguns docentes.
Alguns companheiros e companheiras podem manifestar as suas indignações – rico exercício do ser humano de dizer não ao que entende como errado- em relação a esse pensamento. Se podem fazê-lo, há que se perguntar, se os alunos também não o possam.
O que se pode fazer por e com esses aprendizes, neófitos de uma pretensa revolução escolar, é orientá-los e prepará-los para a construção da força do argumento e tentar afastá-los - tarefa inglória e profundamente difícil, diante dos caminhos trilhados pela nova ordem mundial ¹ - da vontade, do ímpeto juvenil de usar o argumento da força, próprio dos que não conseguem construir um discurso convincente (aqui se inclui também um número considerável de adultos). Esta é uma das missões da Orientação Educacional, até porque não haveria razão da sua existência na escola, se todos os alunos fossem encaixilhados, se mantivessem posturas, atitudes e comportamentos como as de um monge.
Esses alunos e alunas são, escusando-nos pela, talvez, infeliz comparação, como os bebês deixados na “roda dos expostos”². Vemos dessa maneira esses meninos e meninas, principalmente, os que normalmente são encaminhados ao profissional da Orientação Educacional, convidados a se ausentarem da sala de aula, os que não se adaptam aos padrões estabelecidos pelo Regimento Escolar, pelo instituído, os que negam segundo Foucault (1988: 126),

métodos que permitem o controle minucioso das operações do corpo, que realizam a sujeição constante de suas forças e lhes impõem uma relação de docilidade-utilidade (...) que visa (...) a formação de uma relação que no mesmo mecanismo o torna tanto mais obediente quanto é mais útil, e inversamente (...) A disciplina fabrica assim corpos submissos e exercitados, corpos “dóceis”.

É de bom alvitre esclarecer, que não estamos, nesse espaço, fazendo nenhuma apologia ao motim contra a direção escolar e à constituição legal do enquadre sócio-educativo, que disciplina (mil perdões a Foucault!) a convivência entre as pessoas que fazem parte da instituição. Muito pelo contrário, pensamos em contribuir com a reflexão de uma premência sempre viva e querida, como profetizado por Geraldo Vandré ³, “nas escolas, nas ruas, campos, construções” e, também, nas nossas casas. Diante de tantas violências, dos mais variados matizes, não é de todo ruim que os nossos filhos, nossos alunos se rebelem, mostrem suas contradições, suas indignações, contestem em nossas casas, nas nossas escolas. Esses lugares são propícios para que tal aconteça, pois temos a oportunidade de educá-los – diferentemente de doutriná-los – a como fazê-lo. Não é o ato em si de contestar, que pais e professores devem negar ou se precaver; mas, como contestar. O que vem a ser incômodo não é o conteúdo, mas a forma... em quaisquer circunstâncias.
Esta não é nem pode ser vista e entendida como uma tarefa só do Orientador Educacional; mas, do educador que orienta em todos os níveis, que não restringe a sua ação educativa ao simplório ato de divulgar informações científicas. Se soubéssemos a extensão dos problemas oriundos do monopólio dos conhecimentos científicos por parte de uma minoria privilegiada da população e da vastidão de soluções, principalmente para as questões conjunturais da sociedade, que tais conhecimentos trariam, focaríamos melhor a relação do até hoje incompatível binômio do processo educativo. Acredita-se, que isso não seja possível com o docente fazendo o papel de "papagaio de pirata", como simples repassador de informações. Enquanto não houver o envolvimento do sujeito com o conhecimento, com a sua própria aprendizagem, no tempo em que não aprender a caminhar com as próprias pernas, ter autonomia para formular seus adequados questionamentos oriundos de sua visão de mundo, não terá e nem verá resposta alguma para os questionamentos da vida. Não há resposta sem pergunta. E como muito bem pontuado pela excelente propaganda da TV Escola, "o que move o mundo não são as respostas, são as perguntas!".
Não tem nem como direcionarmos, enquanto motivo para entraves nas relações sócio-afetivas entre professor e aluno, o conflito de gerações, como muito se fazia na época em que cursamos o inesquecível 2º grau (denominação da época). Hoje é cada vez mais visível a presença de docentes com 21, 22 anos de idade nas salas de aula. “Meninos” ainda cronologicamente muito próximos da puberdade, deixada num ontem ainda vibrante em suas veias. Muitos desses ainda se pegam e são pegos, em alguns momentos de suas vidas pessoal ou profissional, com certas posturas adolescentes. Não que isso seja condenável. Depende do lugar e da hora em que tal aconteça.
Do conflito ao confronto. Agora as idéias não se opõem, muito ao contrário, elas se defrontam, se colocam face a face. Do velho professor que critica certas atitudes, sendo analisado pelos alunos como ultrapassado, careta, péla-saco e outros adjetivos não muito recomendados para esse espaço, conflitando-se com os meninos, ao jovem docente, que com tenra idade, é percebido e observado como uma ameaça, como mais um a ocupar um espaço de conquistas de espaços... também em todos os sentidos! Então, aquele é o paradigma da ameaça à liberdade do se fazer aparecer, do, caetanamente, “é proibido proibir” e esse é mais um a querer uma fatia do mercado em que a efervescência hormonal é a mola mestra e com o agravante de, pelo seu status, pelo papel social exercido por força de sua formação, se tornar o centro das atenções.
Estão numa idade em que não precisam e nem querem inimigos. Ninguém precisa e quer. Muito menos eles.
Queremos amigos. Precisamos deles. Queremos partilhar conquistas. Precisamos socializar vitórias.
É necessário que não percamos... nunca... a capacidade de sonhar, de nos apaixonar, de amar. Precisamos entender que a tristeza, o estado de prostração de um(a) adolescente quando ´deixa de ficar` ou – perdoem-me meninos e meninas – rompem um namoro, naquele momento, é mais doloroso e terrível do que perder um bem material de valor para muitas pessoas. Perda é perda, mas um grande amor – e naquele momento é o maior do mundo - ´nunca mais` teremos outro igual. Teremos muitos outros, mas igual, não!
_ Um grande amor só se esquece com outro grande amor! – Filosofei, com um aperto no coração pelo sincero pesar do menino, tentando mostrar-lhe, que essa é a idade das muitas paixões, dos vários amores, de beijar muito. Lembro-me, que há 35 anos essa frase surtiu um efeito positivo em mim. O tempo não consegue tirar-lhe a força semântica.
Precisamos resgatar a capacidade de nos emocionar. Chorar nunca foi coisa de `mulherzinha`... é coisa de homem... de ser humano... ter sensibilidade não é para qualquer um... é, deveras, coisa de macho. Apesar e além de não “robertocarlosear” , mas respeitar quem goste dele, e dando seqüência a idéia das reticências postas nessas reflexões, provoco a subjetividade e deixo outras com o verso desse cantor e compositor: “é preciso saber viver!”.

__________________
* Equivocadamente foi divulgado que vem do latim alumnus (a-lumnus), que significa sem luz. Maiores e melhores explicações, vide texto de Newton Luís Mamede em
http://www.revelacaoonline.uniube.br/ombudsman/aluno.html .
** Mestre em Educação, Professor e Orientador Educacional da Rede Pública Municipal de Cabo Frio. Atualmente exercendo o cargo de chefe do setor de serviços desses profissionais, que atuam do 6º ao 9º anos do Ensino Fundamental e no Ensino Médio na Secretaria de Educação deste município.
¹. “Para começarmos a entender a Nova Ordem Mundial (NOM) você precisa esquecer o que lhe foi dito sobre as diferenças filosóficas entre os Republicanos e Democratas, esquerda e direita, socialistas e libertários, capital e trabalho, revolucionários e conservadores, brancos e negros, etc. Os planejadores da Nova Ordem Mundial sabem que devem usar, influenciar, e prover para que todos esses grupos alcancem os objetivos perseguidos, que são:
* tudo;
* Comercializar tudo;
* Classificar tudo;
* Reivindicar tudo;
* Controlar tudo.
Se esses objetivos forem totalmente implementados, a liberdade de expressão, de personalidade, de metas e decisões pessoais, de responsabilidade individual, propriedade privada, empresa privada, moralidade, governos constitucionais, soberania nacional e liberdade religiosa não serão mais tolerados. Todas as pessoas, de todas as nações, estarão sujeitas ao sistema de gerenciamento da NOM.” (Érica Carle)
². Esse mecanismo remonta à Idade Média, quando, por volta do século XIII, a Igreja Católica resolveu acolher crianças rejeitadas por suas famílias. Para isso, eram disponibilizados espaços giratórios conhecidos como "roda dos expostos", onde se colocava o bebê de um lado, para que fosse retirado do outro, mantendo-se o anonimato. Essa prática se disseminou e chegou ao Brasil em 1730, com a instalação de "rodas" em algumas Santas Casas da Misericórdia. No entanto, na primeira metade do século XX, o procedimento foi extinto.
³. VANDRÉ, Geraldo. Pra não dizer que não falei de flores. Canção escrita e interpretada por
Geraldo Vandré no Festival Internacional da Canção de 1968. . Ficou em segundo lugar.

Referências Bibliográficas:
CARLE, Érica. Guia do Estudante Esperto Para Compreender a Nova Ordem Internacional. setembro de 2005. Disponível em:
http://www.espada.eti.br/guia-nom.asp .
FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 6. ed. Petrópolis: Vozes, 1988.
Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado sob uma Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 2.5 Brasil.

sábado, 22 de agosto de 2009

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Gestão Escolar - Introdução

O conceito de Gestão Escolar - relativamente recente - é de extrema importância, na medida em que desejamos uma escola que atenda às atuais exigências da vida social: formar cidadãos, oferecendo, ainda, a possibilidade de apreensão de competências e habilidades necessárias e facilitadoras da inserção social. Para fim de melhor entendimento, costuma-se classificar a Gestão Escolar em 3 áreas, funcionando interligadas, de modo integrado ou sistêmico:
Gestão Pedagógica
Gestão de Recursos Humanos

Gestão Administrativa
Gestão Pedagógica
/// Gestão de Recursos Humanos/// Gestão Administrativa
1. Gestão Pedagógica
É o lado mais importante e significativo da gestão escolar.
Cuida de gerir o área educativa, propriamente dita, da escola e da educação escolar.Estabelece objetivos para o ensino, gerais e específicos. Define as linhas de atuação, em função dos objetivos e do perfil da comunidade e dos alunos. Propõe metas a serem atingidas. Elabora os conteúdos curriculares. Acompanha e avalia o rendimento das propostas pedagógicas, dos objetivos e o cumprimento de metas. Avalia o desempenho dos alunos, do corpo docente e da equipe escolar como um todo.
Suas especificidades estão enunciadas no Regimento Escolar e no Projeto Pedagógico (também denominado Proposta Pedagógica) da escola. Parte do Plano Escolar (ou Plano Político Pedagógico de Gestão Escolar) também inclui elementos da gestão pedagógica: objetivos gerais e específicos, metas, plano de curso, plano de aula, avaliação e treinamento da equipe escolar.
O Diretor é o grande articulador da Gestão Pedagógica e o primeiro responsável pelo seu sucesso. É auxiliado nessa tarefa pelo Coordenador Pedagógico (quando existe).
2. Gestão Administrativa
Cuida da parte física (o prédio e os equipamentos materiais que a escola possui) e da parte institucional (a legislação escolar, direitos e deveres, atividades de secretaria).
Suas especificidades estão enunciadas no Plano Escolar (também denominado Plano Político Pedagógico de Gestão Escolar, ou Projeto Pedagógico) e no Regimento Escolar.
2. Gestão de Recursos Humanos
Não menos importante que a Gestão Pedagógica, a gestão de pessoal - alunos, equipe escolar, comunidade) constitui a parte mais sensível de toda a gestão.
Sem dúvida, lidar com pessoas, mantê-las trabalhando satisfeitas, rendendo o máximo em suas atividades, contornar problemas e questões de relacionamento humano fazem da gestão de recursos humanos o fiel da balança - em termos de fracasso ou sucesso - de toda formulação educacional a que se pretenda dar consecução na escola.
Direitos, deveres, atribuições - de professores, corpo técnico, pessoal administrativo, alunos, pais e comunidades - estão previstos no Regimento Escolar.
Quando o Regimento Escolar é elaborado de modo equilibrado, não tolhendo demais a autonomia das pessoas envolvidas com o trabalho escolar, nem deixando lacunas e vazios sujeitos a interpretações ambíguas, a gestão de recursos humanos se torna mais simples e mais justa.
A organização acima - gestões pedagógica, administrativa e de recursos humanos - correspondem a uma formulação teórica, explicativa, pois, na realidade escolar, as três não podem ser separadas mas, isto sim, devem atuar integradamente, de forma a garantir a organicidade do processo educativo.

Referência bibliográfica:
Disponível em http://www.conteudoescola.com.br. Por Conteúdoescola - 21 de julho de 2004. Acesso e captura em 24/7/2009.

domingo, 10 de maio de 2009

A GRANDE MÍDIA SABOTA E DESINFORMA

É notória a falta de compromisso da grande mídia brasileira com o bom jornalismo. A sabotagem e a desinformação são práticas corriqueiras. O caso mais recente foi a grande manifestação realizada em Brasília contra o presidente do STF, Gilmar Mendes. A grande mídia não publicou praticamente nada. Raros foram os jornais que deram alguma nota. Nesses momentos é importante lembrar da Rede Globo que tentou ignorar a campanha das Diretas Já e que manipulou o debate entre Collor (depois traiu a própria Globo) e Lula.
Fonte:http://jornalmomento.blig.ig.com.br/ Acesso e captura em 10/05/2009

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Coisas que nossas mães faziam...

E DAVA TÃO CERTO...
E NINGUÉM MORREU DE REVOLTA!!!!
HEEHEEH!!!!

Minha mãe ensinou a VALORIZAR O SORRISO...
"ME RESPONDE DE NOVO E EU TE ARREBENTO OS DENTES!"
Minha mãe me ensinou a RETIDÃO.
"EU TE AJEITO NEM QUE SEJA NA PANCADA!"
Minha mãe me ensinou a DAR VALOR AO TRABALHO DOS OUTROS...
"SE VOCÊ E SEU IRMÃO QUEREM SE MATAR, VÃO PRA FORA. ACABEI DE LIMPAR A CASA!"
Minha mãe me ensinou LÓGICA E HIERARQUIA...
"PORQUE EU DIGO QUE É ASSIM! PONTO FINAL! QUEM É QUE MANDA AQUI?"
Minha mãe me ensinou o que é MOTIVAÇÃO...
"CONTINUA CHORANDO QUE EU VOU TE DAR UMA RAZÃO VERDADEIRA PARA VC CHORAR!"
Minha mãe me ensinou a CONTRADIÇÃO... " FECHA A BOCA E COME!"
Minha Mãe me ensinou sobre ANTECIPAÇÃO...
"ESPERA SÓ ATÉ SEU PAI CHEGAR EM CASA!"
Minha Mãe me ensinou sobre PACIÊNCIA...
"CALMA!... QUANDO CHEGARMOS EM CASA VOCÊ VAI VER SÓ..."
Minha Mãe me ensinou a ENFRENTAR OS DESAFIOS...
"OLHE PARA MIM! ME RESPONDA QUANDO EU TE FIZER UMA PERGUNTA!"
Minha Mãe me ensinou sobre RACIOCÍNIO LÓGICO...
"SE VOCÊ CAIR DESSA ÁRVORE VAI QUEBRAR O PESCOÇO E EU VOU TE DAR UMA SURRA!"
Minha Mãe me ensinou MEDICINA...
"PÁRA DE FICAR VESGO MENINO! PODE BATER UM VENTO E VOCÊ VAI FICAR ASSIM PARA SEMPRE."
Minha Mãe me ensinou sobre o REINO ANIMAL...
"SE VOCÊ NÃO COMER ESSAS VERDURAS, OS BICHOS DA SUA BARRIGA VÃO COMER VOCÊ!"
Minha Mãe me ensinou sobre SEXO...
"...E COMO VOCÊ ACHA QUE VOCÊ NASCEU?"
Minha Mãe me ensinou sobre GENÉTICA..
"VOCÊ É IGUALZINHO AO SEU PAI!"
Minha Mãe me ensinou sobre minhas RAÍZES ...
"TÁ PENSANDO QUE NASCEU DE FAMÍLIA RICA É?"
Minha Mãe me ensinou sobre a SABEDORIA DE IDADE...
"QUANDO VOCÊ TIVER A MINHA IDADE, VOCÊ VAI ENTENDER."
Minha Mãe me ensinou sobre JUSTIÇA...
"UM DIA VOCÊ TERÁ SEUS FILHOS, E EU ESPERO ELES FAÇAM PRÁ VOCÊ O MESMO QUE VOCÊ FAZ PRA MIM! AÍ VOCÊ VAI VER O QUE É BOM!"
Minha mãe me ensinou RELIGIÃO...
"MELHOR REZAR PARA ESSA MANCHA SAIR DO TAPETE!"
Minha mãe me ensinou o BEIJO DE ESQUIMÓ...
"SE RABISCAR DE NOVO, EU ESFREGO SEU NARIZ NA PAREDE!"
Minha mãe me ensinou CONTORCIONISMO...
"OLHA SÓ ESSA ORELHA! QUE NOJO!"
Minha mãe me ensinou DETERMINAÇÃO...
"VAI FICAR AÍ SENTADO ATÉ COMER TODA COMIDA!"
Minha mãe me ensinou habilidades como VENTRÍLOGO...
"NÃO RESMUNGUE! CALA ESSA BOCA E ME DIGA POR QUE É QUE VOCÊ FEZ ISSO?"
Minha mãe me ensinou a SER OBJETIVO..."EU TE AJEITO NUMA PANCADA SÓ!"
Minha mãe me ensinou a ESCUTAR ....
"SE VOCÊ NÃO ABAIXAR O VOLUME, EU VOU AÍ E QUEBRO ESSE RÁDIO!"
Minha mãe me ensinou a TER GOSTO PELOS ESTUDOS...
"SE EU FOR AÍ E VOCÊ NÃO TIVER TERMINADO ESSA LIÇÃO, VOCÊ JÁ SABE!..."
Minha mãe me ajudou na COORDENAÇÃO MOTORA...
"AJUNTA AGORA ESSES BRINQUEDOS!! PEGA UM POR UM!!"
Minha mãe me ensinou os NÚMEROS...
VOU CONTAR ATÉ DEZ. SE ESSE VASO NÃO APARECER VOCÊ LEVA UMA SURRA!"
Brigadão Mãe !!!

sexta-feira, 1 de maio de 2009

Anísio Teixeira

"Sou contra a educação como processo exclusivo de formação de uma elite, mantendo a grande maioria da população em estado de analfabetismo e ignorância.

Revolta-me saber que dos cinco milhões que estão na escola, apenas 450.000 conseguem chegar a 4 ª. série, todos os demais ficando frustrados mentalmente e incapacitados para se integrarem em uma civilização industrial e alcançarem um padrão de vida de simples decência humana.

Choca-me ver o desbarato dos recursos públicos para educação, dispensados em subvenções de toda natureza a atividades educacionais, sem nexo nem ordem, puramente paternalistas ou francamente eleitoreiras.

Anísio Teixeira

Voltando o país ao regime democrático, em 1946, Anísio é convidado por Octávio Mangabeira - socialista, fundador da UDN, também exilado e então eleito para o Governo da Bahia - para ser o Secretário de Educação e Saúde. Dentre outras realizações, constrói na Liberdade - o mais populoso e pobre bairro da capital baiana - o "Centro Educacional Carneiro Ribeiro", mais conhecido por Escola Parque, lugar para educação em tempo integral e que serviria de modelo para os futuros CIACs e CIEPs.

Nos anos 50, dirigiu o Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos, ou INEP, órgão do Governo Federal, que desde o governo de Fernando Henrique Cardoso se chama Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (ver seu site em [2]). Foi também o criador e primeiro dirigente da Campanha Nacional de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (atual CAPES), criada em 11 de julho de 1951, pelo Decreto nº 29.741, pelo presidente Getúlio Vargas, e que Anísio dirigiu até o golpe de 1964. A CAPES subordinava-se diretamente ao Presidente da República mas, depois de 1964, passou a integrar o organograma do Ministério da Educação (ver [3]). De todo modo, com a ditadura militar, Anísio deixou a sua direção.

Foi um dos idealizadores do projeto da Universidade de Brasília1963, para ser afastado após o golpe militar de 1964. (UnB), inaugurada em 1961, da qual veio a ser reitor em

Uma morte misteriosa

Diversas circunstâncias obscuras cercam a morte de Anísio Teixeira. Dois meses antes da sua, ele escreveu: "Por mais que busquemos aceitar a morte, ela nos chega sempre como algo de imprevisto e terrível, talvez devido seu carater definitivo: a vida é permanente transição, interrompida por estes sobressaltos bruscos de morte". (numa carta a Fernando de Azevedo)

Por intercessão do amigo Hermes Lima, Anísio candidata-se a uma vaga da Academia. Inicia, assim, a série de visitas protocolares aos Imortais.

Depois da última visita, ao lexicógrafo Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, Anísio desaparece. Preocupada, sua família investiga o paradeiro, sendo informada pelos militares de que ele se encontrava detido.

Uma longa procura por informações tem início - repetindo um drama vivido por centenas de famílias brasileiras durante a ditadura militar. Mas, ao contrário das desencontradas informações e pistas falsas, seu corpo é finalmente encontrado.

Anísio estava no fosso do elevador do prédio do imortal Aurélio, na Praia de Botafogo, no Rio. Dois dias haviam se passado de seu desaparecimento. Não havia sinais de queda, nem hematomas que a comprovassem. A versão oficial foi de "acidente".

Calava-se, para um Brasil mergulhado em sombras, uma voz em defesa da educação - portador da "subversiva" idéia de um país melhor. Era o dia 14 de março de 1971.

http://pt.wikipedia.org/wiki/An%C3%ADsio_Teixeira Acesso e captura em 1-mai-09.

terça-feira, 28 de abril de 2009

I CONFERÊNCIA REGIONAL DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL

O Objetivo central das Conferências será analisar e repactuar os princípios e diretrizes aprovados na I Conferência Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, e avaliar a implantação do Plano Nacional de Promoção da Igualdade Racial (PLANAPIR).
Além disto, união, estado e municípios deverão através de seus órgãos gestores mobilizar-se para o desenvolvimento de ações coordenadas, visando a consolidar a implantação do PLANAPIR; Estimular a participação da sociedade civil na formulação e controle social das políticas de promoção da igualdade racial e consolidar as formas de implantação da Política Nacional de Igualdade Racial, PNPIR, por meio da transversalidade, descentralização e gestão democrática.
A importância da ampla participação da sociedade civil organizada neste processo, embora seja ele deflagrado através de uma convocação do governo, tem relação com o controle social, constitucionalmente previsto e a apropriação pelas políticas públicas municipais dos recursos destinados ao combate ao racismo, discriminações, preconceitos e intolerâncias de origem étnico-racial.




dias 01 e 02 de maio de 2009
Teatro Cacilda Santa Rosa
às 18 horas do dia 01 de Maio de 2009.

Informações pelo telefone (22) 2643 2784 ou pelo e-mail: suppir.cabofrio@yahoo.com.br

domingo, 26 de abril de 2009

10QUESTÕES SOBRE O ENEM

1- Qual será o novo modelo da prova?
Serão 200 questões de múltipla escolha e uma redação. As provas serão aplicadas em dois dias. Entre as áreas abordadas estão linguagens (50 testes e redação), ciências humanas (50 testes), ciências da natureza (50 testes) e matemática (50 testes).
2- Qual será o conteúdo cobrado na prova?
O Ministério da Educação (MEC) informou que cobrará o conteúdo das disciplinas do ensino médio, mas ainda não detalhou o programa. As diretrizes da prova serão elaboradas por um comitê composto pelas universidades federais, Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) e Conselho Nacional de Secretários de Educação.
3- Quando o novo exame será aplicado? Quando saem os resultados?
O calendário previsto para a
realização da prova é 3 e 4 de outubro deste ano. O desempenho dos candidatos na parte objetiva (testes) será divulgado em 4 de dezembro e, o resultado final, incluindo a redação, sai em 8 de janeiro de 2010.
4- Como será a inscrição para o novo Enem?
O processo de inscrição será exclusivamente pela internet. Segundo o MEC, a taxa de inscrição para alunos da rede particular é de R$ 35. Estudantes da rede pública ou bolsistas em escola particular estarão isentos da taxa.
5- A Fuvest e a Unicamp seguirão adotando o Enem como bônus?
A nota do Enem continuará sendo usada na nota da primeira fase da Fuvest e poderá representar até 20% do total da nota da primeira fase. Já a
Unicamp estuda não considerar a nota do Enem em seu vestibular deste ano.
6- Conforme proposta do MEC, quais universidades federais adotarão o novo Enem como vestibular?

A proposta foi apresentada pelo ministro Fernando Haddad aos reitores das federais no início de abril em Brasília. Os conselhos universitários de cada federal devem avaliar até o fim deste mês se adotam ou não a proposta e, no caso da adoção, quando e como seria aplicada. Cada universidade tem autonomia para decidir. Em reportagem do G1, algumas universidades já se posicionaram sobre a questão.
7- Como seria aplicado o novo Enem pelas universidades federais?
Os reitores das universidades federais e o ministro da Educação definiram
quatro formas de adesão das instituições ao novo Enem. Há quatro possibilidades: o Enem como fase única; como primeira fase; como fase única para as vagas ociosas, após o vestibular; ou combinado ao atual vestibular da instituição. Neste último caso, a universidade definirá o percentual da nota do Enem a ser utilizado para a construção de uma média junto com a nota da prova do vestibular.
8- O Sistema de Seleção Unificada, proposto pelo MEC, admite a escolha de quantas opções?

O vestibulando pode escolher cinco cursos em até cinco instituições de ensino no Sistema de Seleção Unificada, na internet.
9- Após o Enem, o vestibulando pode mudar as opções? Como?
Após receber o resultado da prova, o vestibulando poderá listar até cinco cursos nas universidades de sua preferência (escolha também limitada a cinco). Atualizada diariamente, a nota de corte dos cursos será determinada pela concorrência entre os alunos. Ou seja, se mais alunos com notas altas concorrerem a um determinado curso, a nota de corte será mais alta.
No Sistema de Seleção Unificada, disponível na internet, o vestibulando poderá visualizar a nota do último candidato selecionado e comparar com a sua. Desse modo, poderá mudar suas opções quantas vezes quiser até o encerramento do prazo de inscrição.
Se o aluno perceber que o curso escolhido como a primeira opção está com a nota de corte superior à sua avaliação no Enem, pode escolher as demais opções da sua lista inicial ou modificar a primeira lista escolhendo novos cursos e novas instituições.
10- Como se dará a seleção dos candidatos? E se houver empate?
Os vestibulandos serão selecionados em apenas uma das opções de curso conforme a nota do novo Enem, a ordem das opções escolhidas na inscrição e o limite de vagas disponíveis. No caso de notas idênticas, o desempate seguirá a seguinte ordem de critérios: maior nota na prova de linguagens, maior nota na prova de matemática e maior idade do candidato.

http://g1.globo.com/Noticias/Vestibular/0,,MUL1089718-5604,00-TIRADUVIDAS+G+RESPONDE+A+DEZ+PERGUNTAS+SOBRE+O+NOVO+ENEM.html domingo, 26 de abril de 2009

TÔ ENEM AÍ? OLHEM SÓ COMO VAI FICAR!

NÃO É LÁ O PARADIGMA DA MORALIDADE EDUCATIVA MUNDIAL, MAS...
Para universidades americanas, nota alta em exame não é suficiente
Além do SAT, instituições dos EUA avaliam o histórico escolar. MEC usa modelo de prova como inspiração para o novo Enem.

Uma nota alta no SAT, exame americano que é usado pela maioria das universidades dos Estados Unidos como um dos critérios para o ingresso, não é garantia de aprovação na instituição. Outros fatores são levados em conta também. A prova, que é aplicada nacionalmente e até no exterior, serve de modelo para o Ministério da Educação reformular o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).
Veja também: Saiba como funciona o exame americano no qual o novo Enem se baseia
“Além da nota, o perfil do estudante é analisado porque a instituição está atrás dos outros talentos que ele tem. Ele não é avaliado somente em um ou dois dias de prova, mas ao longo de um período", afirma Thais Burmeister Pires, coordenadora do Centro de Educação EducationUSA da Alumni, que é o centro oficial do governo americano para orientação de estudo nos EUA.
MAIORES INFORMAÇÕES:
http://g1.globo.com/Noticias/Vestibular/0,,MUL1089718-5604,00-TIRADUVIDAS+G+RESPONDE+A+DEZ+PERGUNTAS+SOBRE+O+NOVO+ENEM.html Fernanda Calgaro Do G1, em São Paulo. Acesso e captura em 26/04/2009.

terça-feira, 21 de abril de 2009

UM DIA A CASA CAI!!!


A cartomante (Ivan Lins e Victor Martins)
(...)"Tenha paciência, Deus está contigo
Deus está conosco até o pescoço
Já está escrito, já está previsto
Por todas as videntes, pelas cartomantes
Tá tudo nas cartas, em todas as estrelas
No jogo dos búzios e nas profecias
Cai o rei de Espadas
Cai o rei de Ouros
Cai o rei de Paus"...
Cai, não fica nada!

segunda-feira, 20 de abril de 2009

QUE PAÍS É ESSE?

Marcos Espínola -Advogado criminalista
Essa pergunta foi tema de música nos anos 80 quando um conjunto de rock, ao brindar a volta da democracia, esbravejou para os quatros cantos do País algumas mazelas da nossa nação. Após mais de 20 anos, lamentavelmente, a pergunta ainda é pertinente, principalmente quando nos deparamos com a "farra" explícita na Câmara dos Deputados, que, pressionada pelos próprios membros da Casa, recuou na decisão de moralizar o uso da verba indenizatória e de passagens. Uma conduta que mostra o tipo de política exercida no País, na qual o cidadão não passa de um fantoche nas mãos daqueles eleitos por ele. Um desrespeito à cidadania.
Uma semana depois de ter anunciado iniciativas que visavam regularizar uma gastança descontrolada do dinheiro
público, a mesa diretora da Câmara dos Deputados, declaradamente "advogando" em causa própria e numa única reunião, voltou atrás e suspendeu, por exemplo, as restrições com gastos de alimentação e assessorias.
Como se não bastasse o vergonhoso gesto de recuar na decisão, motivado, repito por enorme pressão dos próprios deputados, a mesa diretora anunciou a ampliação para R$ 150 milhões do gasto para reformar todos os apartamentos funcionais em dois anos. Agora, serão 528 apartamentos de quatro e dois quartos para 513 deputados, sendo que o excedente se trata, acreditem, de reserva técnica.
Num país onde ainda falta moradia digna e a miséria atinge percentuais relevantes, chega a ser criminoso esse tipo de postura da classe política brasileira. Assim, indagamos por que a criminalidade não para de crescer? E retomamos a pergunta: que país é esse?

Jornal ODIA/sábado, 11/04/2009 - Caderno Opinião

sábado, 18 de abril de 2009

SEXCÍDIO OU COMÉDIA DO SEXO PRIVADO

Justiça pune casal por sexo barulhento
sábado, 18 de abril de 2009
A Justiça puniu o casal britânico Caroline e Steve Cartwright por fazer ‘sexo barulhento’. Processados por vizinhos incomodados, eles terão que pagar o equivalente a R$ 1,6 mil de multa. Uma vizinha gravou áudio da gritaria para mostrar no tribunal e outra, mesmo parcialmente surda, disse não conseguir dormir.
Perguntas deste blogueiro: 1) Olhando a foto do casal de pombinhos, que conclusão podemos tirar enquanto motivo da tal gritaria?; 2) Qual dos dois gritava mais ao abrir os olhos e se deparar com o parceiro? 3) Será que eles gritavam por raiva e descontentamento consigo mesmo ao perceberem o que estavam fazendo?
Que questionamento você faz diante de tal matéria? Ajude-me a encontrar uma resposta convincente para este, digamos com a licença neologística, SEXCÍDIO (não adianta procurar no dicionário!).
Saudações blogspotivas!!!

quarta-feira, 18 de março de 2009

SOBRE CONSELHO TUTELAR, TUTELA DO CONSELHO E DA ERRÔNEA CONCEPÇÃO SOBRE A EDUCAÇÃO ESCOLAR

Francisco Carlos de Mattos
INTRODUÇÃO

Este texto, que aqui denominamos de texto-relatorio, é fruto de um diálogo mantido com uma colega orientadora educacional, quando da visita à Divisão desse serviço, para alguns norteamentos das suas ações na unidade escolar que lhe fora reservada.
Causou-lhe grande espanto, que, após uma atividade tão interessante para a tríplice (cognitiva, afetiva e psicomotora) formação dos pequeninos educandos, alguns pais fossem ter a equivocada atitude que tiveram sem ter buscado explicações/orientações a quem e onde de direito, ou seja, com a professora, a direção, na escola.
O Estatuto da Criança e do Adolescente (1990), que prevê em seu Art.53 que a "criança e o adolescente têm direito à educação, visando ao pleno desenvolvimento de sua pessoa, preparo para o exercício da cidadania (...)", sustenta e norteia a ação pedagógica, tal qual foi executada pela profissional em questão. Se em casa a criança não é estimulada a desenvolver hábitos saudáveis em todas as instâncias possíveis da vida, onde os pais, com suas descabidas atitudes protecionistas, fazem um grande mal, pensando o contrário, há que se entender determinados comportamentos de alguns responsáveis. Ainda bem que esses são minoria. A porcentagem significativamente importante à escola, é o que nos interessa.
DEPOIS DE AMANHÃ
Amanhã (Composição de Guilherme Arantes)
Amanhã
Será um lindo dia
Da mais louca alegria
Que se possa imaginar
Amanhã
Redobrada a força
Pra cima que não cessa
Há de vingar

O dia seguinte seria de muitas atividades e alegria, pois a professora anunciara recorte e colagem (não como simples atividade mecânica, mas, minuciosamente pensada para a produção de saberes) . Foram para as suas casas saltitantes, sorrisos abertos estampados nos rostos, alguns já querendo dormir para que o dia seguinte chegasse mais rápido.
Em casa também, a professora, que não consegue se descaracterizar assim tão facilmente para assumir os seus papéis de mãe e esposa, imaginava detalhes para enriquecer a atividade do dia seguinte.
- Mamãe, posso brincar um pouco com minhas bonequinhas? - Pergunta-lhe a filha de quatro anos, trazendo-lhe à realidade.
- Claro minha filha; mas, quando acabar de brincar o que você tem que fazer?
- Guardar as bonecas no cantinho delas.
- Eureka!!! - Exclama, de súbito, a mãe-professora.
- O que a senhora disse, mamãe? - Perguntou a menina sem entender a reação da mãe.
- Nada minha filha, nada! Você deu uma boa idéia para mamãe, viu?
E o amanhã chegou... 07:00 horas, a professora no portão recebendo os seus pimpolhos. A sala já organizada e limpa, preocupação próxima de uma doença da "tia" (mesmo que politicamente incorreto, piagetianamente errôneo, esta caracterização ainda vai acompanhar a professora por muito tempo!), lá estava ela preparada para receber os alunos que, com certeza, iriam "deitar e rolar" com suas criatividades, experienciar coisas novas, aprender de forma prazerosa.
Explicado como seria feito, a turma foi organizada em duplas e trios em função do número de alunos, que normalmente conta com, no máximo, 25 crianças.
Iniciados os trabalhos, a previsão se materializava com a transformação da sala de aula. Quem passasse próximo, distinguiria verdadeira bagunça e não um serviço planejado; mas, lá dentro a produção era intensa e se havia alguma baderna, pode-se afirmar que todas as nunces desse, digamos, quiprocó pedagógico, tenha sido meticulosamente tencionado.

NOÇÕES DE CIDADANIA: AMBIENTE LIMPO NÃO É O QUE MAIS SE LIMPA, MAS O QUE MENOS SE SUJA OU O DIA DEPOIS DE AMANHÃ .

Esse dia de aula iria de alguma maneira entrar em contradição com o adágio popular, primeiro complemento do sub-título acima. A sala de aula estava limpa e arrumada e terminou, já se esperava, repleta de papéis picados.
- Se a gente encontra um lugar limpo, deve procurar mantê-lo dessa forma; mas, se por algum motivo, sujarmos, devemos limpá-lo!
Assim a professora, lembrando de sua filha, se pronunciou ao finalizar a atividade . Animadas, as crianças munidas de vassouras, pá e lixeira, em mutirão, deixaram a sala, de novo, um brinco.
No dia seguinte a escola recebe uma intimação do Conselho Tutelar, pois alguns pais entenderam que os seus filhos foram obrigados a desenvolver um trabalho escravo.
Durma-se com um barulho desse!
REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE (ECA). Lei Federal nº 8069, de 13/07/1990.

segunda-feira, 16 de março de 2009

A SERPENTE E A CADELA (CADÊ ELA?)

Francisco C. de Mattos
16 de março de 2009
O uísque é o melhor amigo do homem.
É o cachorro engarrafado (Vinícius de Moraes)
As notícias do mundo animal no G1.globo.com, na página Planeta Bizarro, foi uma cachorrada só.
Os temas caninos foram interessantes e exaltavam a maneira carinhosa com que indústrias de alimentos para esses animais, o ramo hoteleiro, artistas que usaram penas de aves mortas (papagaios, pavões) para dar uma embelezada nos bichinhos, tratam os chamados amigo do homem. Até um ousado cachorro "ladrão" roubando um osso, foi motivo de enquadre nesse assim denominado "um dia de cão".
As empresas lançaram um bolo para cachorro nos EUA. Também neste país, foi construído um hotel no formato desse quadrúpede.
O noticiário termina com uma matéria em que só faltava dizer que, depois de se enfeitar com as plumas das aves, de ter participado de uma festa no hotel no formato dos seus iguais, para roer o osso roubado pelo cão malandro, uma fêmea tenha encontrado outra de espécie diferente, que, envenenada de tanta inveja, fez a seguinte maldade com a bichinha.
Triste fim de Bindi!

domingo, 8 de março de 2009

À MULHER O QUE É DA MULHER!!!

- Nenhum escrito nem em prosa nem em poesia... nenhuma homenagem por parte desse estúpido, que, vez em quando, aparece com uma conversa fiada, dizendo maravilhas da mulher, seja da que o gerou ou da que gerou os seus filhos.

Alguém deve ter pensado dessa forma, principalmente os que me visitam constantemente. Eu diria, que o tempo não me permitiu um preito não somente a essas duas mulheres, que muito me marcaram e marcam, mas a todas as mulheres desse mundo, pois sem elas, não estaríamos aqui. Confesso que a falta de tempo é decorrente dos paparicos que fiz ao longo do dia àquela que gerou os meus filhos, a que me atura durante, mais ou menos, 24 anos.

Agora que me sobrou um tempinho e que pude acessar a internet, é que venho aqui dizer a todas as mulheres, que não importa se não lhes fiz uma homenagem no início do dia e só agora, às 22:09h, é que o faço. Espero ter todos os dias para poder mostrar a minha veneração a esses seres humanos imprescindíveis, profundamente necessários.
Um beijo no coração de todas e que Deus as ilumine sempre!!


sábado, 28 de fevereiro de 2009

SANGUESSUGAS DESALMADOS

Nunca é demais uma contribuição para exterminarmos com essa vergonha, que ainda insiste em nos desafiar. A população não ajuda? Cremos que sim! Entretanto, não vamos "ingenualizar" nosso pensamento ao ponto de não afirmar, que, também e principalmente, há uma puta carênia de políticas públicas. Verbas federais, estaduais e municipais para o combate a essa praga são desviadas para contas correntes de "mosquitões" Aedes Aegyptus, que sugam o sangue dessa mesma população que contribue para a proliferação de mais mosquitos: das Secretarias de saúde (mun., est. e fed), passando pelos prefeitos, governadores e presidente.
Zeus disse... Complementando o texto, que...
Olha meu bom amigo Chico,nunca é demais expor ao povão esta praga que há séculos vem sugando a energia deste nosso Brasil,(me refiro aos 'Aedes Aegyptus de gravatas',aqueles que deveriam cuidar da nação e ao contrário,estão apenas preocupados com a sua própria saúde e de garantir um futuro bom para seus familiares enquanto a maioria de nós,padecemos em filas de postos de saúde e vemos os hospitais cada vez mais sucateados e sem nenhuma previsão de melhoras futuras.Um forte abraço amigo...saudações.
Alguém mais pode e quer contribuir?

"QUEM QUER SER MILIONÁRIO?"

Lendo o Jornal O Dia de hoje, deparei-me com esse artigo de Marcus Tavares que, a princípio a afirmação do 1º parágrafo (§) chamou-me a atenção (função precípua desse §), aborda o meu objeto preferido para as minhas reflexões. A seguir, percebi que o autor comentava sobre aspectos de um filme que fará muito sucesso aqui por essas bandas entre, principalmente, professores. Quem quer ser Milionário?, é uma película que encontra no Brasil, para a sua felicidade, uma onda global em que a Índia é pano de fundo.
Do casal de atores mirins indianos, achados na mesma favela onde o filme é contextualizado, o menino, com fama e dinheiro prometera tirar a sua família daquele lugar. Nesse mesmo jornal já aparece uma matéria sobre uma surra que ele leva do pai, pois o assédio da mídia já o está assustando. Como não quis, em determinada hora falar aos jornalistas, o pai se desesperou e o agrediu.
O artigo abaixo merece ser lido.
Oscar merecido


Marcus Tavares: Jornalista, professor e especialista em mídia e educação
Rio - A escola não é o único espaço de informação, conhecimento e aprendizagem. Pelo contrário, aprendemos em todos os lugares e a todo tempo. Mas, mesmo assim, ela tem um papel indispensável à medida que organiza, contextualiza e analisa tudo o que acontece no dia-a-dia de seus alunos, contribuindo, desta forma, para a constituição de pessoas autônomas, críticas e cidadãs.
A afirmação acima, com a qual eu e vários educadores concordam, está muito bem explicitada no filme Quem quer ser Milionário?, de Danny Bole e Loveleen Tandan, vencedor do Oscar de melhor filme. O longa, uma co-produção inglesa e americana, conta a história do jovem Jamal Malik, de 18 anos. Membro de uma família pobre de Mumbai, cidade da Índia, Jamal resolve participar de um programa de perguntas e respostas na televisão.
Para surpresa de todos, o garoto acerta várias questões. A um passo de responder a última e conquistar o prêmio de 20 milhões de rúpias, o rapaz é preso e interrogado pela polícia local. Afinal, como um jovem pobre e analfabeto pode ter tantos conhecimentos?
O que se segue é um enredo comovente, no qual Jamal Malik conta sua própria história de vida, mostrando – às vezes de forma sofrida, alegre ou inusitada – o quanto aprendemos a cada dia, em qualquer lugar, tempo e sob as mais adversas condições. O filme mostra, portanto, o quanto aprendemos dentro e fora da escola, vivência rica e valiosa.
E mais, do que isso: mostra o quanto a escola pode ser determinante, sim, na organização de toda essa vivência para a constituição de uma pessoa melhor.
O Oscar de melhor filme foi merecido.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

BLECAUTE MUNDIAL: VOU NESSA!





Será no sábado, 28 de março, às 20h30
O WWF-Brasil participa pela primeira vez da Hora do Planeta, um ato simbólico, que será realizado dia 28 de março, às 20h30, no qual governos, empresas e a população de todo o mundo são convidados a apagar as luzes para demonstrar sua preocupação com o aquecimento global.O gesto simples de apagar as luzes por sessenta minutos, possível em todos os lugares do planeta, tem como objetivo chamar para uma reflexão sobre a ameaça das mudanças climáticas.
Participe! É simples. Apague as luzes da sua sala. Por que participar?Porque o Brasil precisa demonstrar que a sua população está atenta ao problema do aquecimento global e disposta a tomar as atitudes necessárias para reduzir estas ameaças. Queremos que os brasileiros se juntem a um bilhão de vozes em todo planeta, chamando os líderes mundiais a assumirem sua parte na solução do problema.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

JAQUELINE, A DOCE ESTRIPADORA!¹

¹. Texto publicado em outro momento e outro blog com a anuência daquela que se fez personagem central desses breves e humildes escritos.
Francisco Carlos de Mattos
Ela não nos enganou. Logo no início da oficina sobre sexualidade e diversidade, último encontro dos quatro que compunham o curso sobre "Escola sem homofobia: construindo para a diversidade", alguma propriedade nos chamou a atenção para aquela moça, mais balzaquiana que gatinha no tocante à idade cronológica, mas, com certeza, uma gatíssima balzaquiana no que se refere às belezas da matéria e do espírito. A primeira transparência no telão projetada pelo datashow nos dava conta do tema e de quem estava ali na frente e o que fazia: SEXUALIDADE E DIVERSIDADE - Jaqueline Rocha Côrtes - Consultora de projetos em HIV/Aids - Assessora técnica - COOPEX.
_Alguma coisa de diferente naquela moça loira, que parece ser a palestrante. - Cochichou-me Jamelzinha.
_Será o Benedito, Jamel? Você não nega a sua origem mineira, hein menina! Mas, não é que percebi a mesma coisa!
No início da atividade ela nos pareceu preocupada em pontuar as regras do jogo, para uma convivência pacífica para aquelas 4 horas que iríamos passar juntos.
Propôs uma primeira dinâmica de apresentações e a iniciou, expondo, mais ou menos, o que continha na transparência, que ainda permanecia no telão.
Aos poucos foi demonstrando extrema segurança no que dizia, levando-nos à desconstrução de alguns (pre)conceitos concernentes ao grande tema tabu na sociedade brasileira. E assim, íamos entendendo um pouco mais sobre sexo gonadal, social, erótico/afetivo, psicológico, genital e genético e percebendo que as pessoas não têm opção sexual, até porque ninguém optaria naturalmente por uma expressão da sexualidade tão discriminada, mas sim orientação/inclinação sexual. Dessa forma, construíamos conceitos política e socialmente corretos como heterossexual, homossexual e bissexual.
A cada fala com sentido, máscaras sem sentidos iam desmoronando e, já nos acostumando com aquela presença simpática, inteligente e, agora, mais descontraída, as considerações finais estavam sendo tecidas com a avaliação do encontro por cada participante.
No final, ela toma a palavra para se "reapresentar" e com todo o orgulho do mundo, diz ser uma transexual, já com resignação de sexo, identidade feminina reconhecida, muito bem casada, feliz e convivendo com a Aids há 4 anos.
Tremenda guerreira em todos os sentidos, que se encaixa nas palavras que me vieram à memória, construídas enquanto respostas para as que ela apresentou como provocação em determinado momento dessa tarde. Para SEXO, escrevi excelência e vida; para a expressão SER DIFERENTE, arrisquei a frase sou o que sou não o que os outros querem que eu seja e coragem; e, finalmente, para AIDS, expressei impacto, consciência e vida.
Rasgou-nos as entranhas do preconceito e se constituiu em JAQUELINE, A DOCE ESTRIPADORA.
É, ela, com certeza, não nos enganou... e obrigado por isso, Jaqueline!

VERDADE MENTIROSA

SELEÇÃO DE SELEÇÕES (Humor (será?!?!)) escrito em quarta 11 fevereiro 2009 01:09
Nos anos 1970, um homem faz as malas e se prepara para trabalhar em outro país. Os amigos pedem que ele não deixe de escrever.
- Vocês estão loucos? O pessoal lá censura até a correspondência.
Os amigos, então, combinam um código: verdade em azul, mentira em verde.
Depois de bastante tempo, chega uma carta toda escrita em azul: "Caros amigos. A vida aqui é uma maravilha! O presidente é amado pelo povo e se perpetuará no poder, para alegria dos cidadãos. Reinam a fartura e a tranquilidade . Encontra-se tudo o que se deseja. Absolutamente tudo. Exceto tinta verde."
Chrislaine Arruda. Rio de Janeiro.Seleções Reader´s Digest. Janeiro de 2009. p. 96

Compenetrado para 2010

Compenetrado para 2010
Visto pela webCam

EU, COMPENETRADO!

EU, COMPENETRADO!

Eu_pela_camara_do_celular

Eu_pela_camara_do_celular

EUNAPAZ

EUNAPAZ
SORRISO É O ESPELHO DA ALMA.

EU

DE PÉ E À ORDEM... SEMPRE!

"PROF, FRANCISCO MATTOS OE DO ALFREDO CASTRO E MÁRCIA FRANCESCONI

ENCONTRO DE MAÇONS

ENCONTRO DE MAÇONS

PANÓPTICO VIRTUAL

Boca da Barra - CF

Boca da Barra - CF

Serra do Rio Rastro (http://www.panoramio.com/photo/752018)

Serra do Rio Rastro (http://www.panoramio.com/photo/752018)
O VERDE É LINDO!
Loading...

Arquivo do blog