Pages

sábado, 28 de fevereiro de 2009

SANGUESSUGAS DESALMADOS

Nunca é demais uma contribuição para exterminarmos com essa vergonha, que ainda insiste em nos desafiar. A população não ajuda? Cremos que sim! Entretanto, não vamos "ingenualizar" nosso pensamento ao ponto de não afirmar, que, também e principalmente, há uma puta carênia de políticas públicas. Verbas federais, estaduais e municipais para o combate a essa praga são desviadas para contas correntes de "mosquitões" Aedes Aegyptus, que sugam o sangue dessa mesma população que contribue para a proliferação de mais mosquitos: das Secretarias de saúde (mun., est. e fed), passando pelos prefeitos, governadores e presidente.
Zeus disse... Complementando o texto, que...
Olha meu bom amigo Chico,nunca é demais expor ao povão esta praga que há séculos vem sugando a energia deste nosso Brasil,(me refiro aos 'Aedes Aegyptus de gravatas',aqueles que deveriam cuidar da nação e ao contrário,estão apenas preocupados com a sua própria saúde e de garantir um futuro bom para seus familiares enquanto a maioria de nós,padecemos em filas de postos de saúde e vemos os hospitais cada vez mais sucateados e sem nenhuma previsão de melhoras futuras.Um forte abraço amigo...saudações.
Alguém mais pode e quer contribuir?

"QUEM QUER SER MILIONÁRIO?"

Lendo o Jornal O Dia de hoje, deparei-me com esse artigo de Marcus Tavares que, a princípio a afirmação do 1º parágrafo (§) chamou-me a atenção (função precípua desse §), aborda o meu objeto preferido para as minhas reflexões. A seguir, percebi que o autor comentava sobre aspectos de um filme que fará muito sucesso aqui por essas bandas entre, principalmente, professores. Quem quer ser Milionário?, é uma película que encontra no Brasil, para a sua felicidade, uma onda global em que a Índia é pano de fundo.
Do casal de atores mirins indianos, achados na mesma favela onde o filme é contextualizado, o menino, com fama e dinheiro prometera tirar a sua família daquele lugar. Nesse mesmo jornal já aparece uma matéria sobre uma surra que ele leva do pai, pois o assédio da mídia já o está assustando. Como não quis, em determinada hora falar aos jornalistas, o pai se desesperou e o agrediu.
O artigo abaixo merece ser lido.
Oscar merecido


Marcus Tavares: Jornalista, professor e especialista em mídia e educação
Rio - A escola não é o único espaço de informação, conhecimento e aprendizagem. Pelo contrário, aprendemos em todos os lugares e a todo tempo. Mas, mesmo assim, ela tem um papel indispensável à medida que organiza, contextualiza e analisa tudo o que acontece no dia-a-dia de seus alunos, contribuindo, desta forma, para a constituição de pessoas autônomas, críticas e cidadãs.
A afirmação acima, com a qual eu e vários educadores concordam, está muito bem explicitada no filme Quem quer ser Milionário?, de Danny Bole e Loveleen Tandan, vencedor do Oscar de melhor filme. O longa, uma co-produção inglesa e americana, conta a história do jovem Jamal Malik, de 18 anos. Membro de uma família pobre de Mumbai, cidade da Índia, Jamal resolve participar de um programa de perguntas e respostas na televisão.
Para surpresa de todos, o garoto acerta várias questões. A um passo de responder a última e conquistar o prêmio de 20 milhões de rúpias, o rapaz é preso e interrogado pela polícia local. Afinal, como um jovem pobre e analfabeto pode ter tantos conhecimentos?
O que se segue é um enredo comovente, no qual Jamal Malik conta sua própria história de vida, mostrando – às vezes de forma sofrida, alegre ou inusitada – o quanto aprendemos a cada dia, em qualquer lugar, tempo e sob as mais adversas condições. O filme mostra, portanto, o quanto aprendemos dentro e fora da escola, vivência rica e valiosa.
E mais, do que isso: mostra o quanto a escola pode ser determinante, sim, na organização de toda essa vivência para a constituição de uma pessoa melhor.
O Oscar de melhor filme foi merecido.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

BLECAUTE MUNDIAL: VOU NESSA!





Será no sábado, 28 de março, às 20h30
O WWF-Brasil participa pela primeira vez da Hora do Planeta, um ato simbólico, que será realizado dia 28 de março, às 20h30, no qual governos, empresas e a população de todo o mundo são convidados a apagar as luzes para demonstrar sua preocupação com o aquecimento global.O gesto simples de apagar as luzes por sessenta minutos, possível em todos os lugares do planeta, tem como objetivo chamar para uma reflexão sobre a ameaça das mudanças climáticas.
Participe! É simples. Apague as luzes da sua sala. Por que participar?Porque o Brasil precisa demonstrar que a sua população está atenta ao problema do aquecimento global e disposta a tomar as atitudes necessárias para reduzir estas ameaças. Queremos que os brasileiros se juntem a um bilhão de vozes em todo planeta, chamando os líderes mundiais a assumirem sua parte na solução do problema.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

JAQUELINE, A DOCE ESTRIPADORA!¹

¹. Texto publicado em outro momento e outro blog com a anuência daquela que se fez personagem central desses breves e humildes escritos.
Francisco Carlos de Mattos
Ela não nos enganou. Logo no início da oficina sobre sexualidade e diversidade, último encontro dos quatro que compunham o curso sobre "Escola sem homofobia: construindo para a diversidade", alguma propriedade nos chamou a atenção para aquela moça, mais balzaquiana que gatinha no tocante à idade cronológica, mas, com certeza, uma gatíssima balzaquiana no que se refere às belezas da matéria e do espírito. A primeira transparência no telão projetada pelo datashow nos dava conta do tema e de quem estava ali na frente e o que fazia: SEXUALIDADE E DIVERSIDADE - Jaqueline Rocha Côrtes - Consultora de projetos em HIV/Aids - Assessora técnica - COOPEX.
_Alguma coisa de diferente naquela moça loira, que parece ser a palestrante. - Cochichou-me Jamelzinha.
_Será o Benedito, Jamel? Você não nega a sua origem mineira, hein menina! Mas, não é que percebi a mesma coisa!
No início da atividade ela nos pareceu preocupada em pontuar as regras do jogo, para uma convivência pacífica para aquelas 4 horas que iríamos passar juntos.
Propôs uma primeira dinâmica de apresentações e a iniciou, expondo, mais ou menos, o que continha na transparência, que ainda permanecia no telão.
Aos poucos foi demonstrando extrema segurança no que dizia, levando-nos à desconstrução de alguns (pre)conceitos concernentes ao grande tema tabu na sociedade brasileira. E assim, íamos entendendo um pouco mais sobre sexo gonadal, social, erótico/afetivo, psicológico, genital e genético e percebendo que as pessoas não têm opção sexual, até porque ninguém optaria naturalmente por uma expressão da sexualidade tão discriminada, mas sim orientação/inclinação sexual. Dessa forma, construíamos conceitos política e socialmente corretos como heterossexual, homossexual e bissexual.
A cada fala com sentido, máscaras sem sentidos iam desmoronando e, já nos acostumando com aquela presença simpática, inteligente e, agora, mais descontraída, as considerações finais estavam sendo tecidas com a avaliação do encontro por cada participante.
No final, ela toma a palavra para se "reapresentar" e com todo o orgulho do mundo, diz ser uma transexual, já com resignação de sexo, identidade feminina reconhecida, muito bem casada, feliz e convivendo com a Aids há 4 anos.
Tremenda guerreira em todos os sentidos, que se encaixa nas palavras que me vieram à memória, construídas enquanto respostas para as que ela apresentou como provocação em determinado momento dessa tarde. Para SEXO, escrevi excelência e vida; para a expressão SER DIFERENTE, arrisquei a frase sou o que sou não o que os outros querem que eu seja e coragem; e, finalmente, para AIDS, expressei impacto, consciência e vida.
Rasgou-nos as entranhas do preconceito e se constituiu em JAQUELINE, A DOCE ESTRIPADORA.
É, ela, com certeza, não nos enganou... e obrigado por isso, Jaqueline!

VERDADE MENTIROSA

SELEÇÃO DE SELEÇÕES (Humor (será?!?!)) escrito em quarta 11 fevereiro 2009 01:09
Nos anos 1970, um homem faz as malas e se prepara para trabalhar em outro país. Os amigos pedem que ele não deixe de escrever.
- Vocês estão loucos? O pessoal lá censura até a correspondência.
Os amigos, então, combinam um código: verdade em azul, mentira em verde.
Depois de bastante tempo, chega uma carta toda escrita em azul: "Caros amigos. A vida aqui é uma maravilha! O presidente é amado pelo povo e se perpetuará no poder, para alegria dos cidadãos. Reinam a fartura e a tranquilidade . Encontra-se tudo o que se deseja. Absolutamente tudo. Exceto tinta verde."
Chrislaine Arruda. Rio de Janeiro.Seleções Reader´s Digest. Janeiro de 2009. p. 96

Compenetrado para 2010

Compenetrado para 2010
Visto pela webCam

EU, COMPENETRADO!

EU, COMPENETRADO!

Eu_pela_camara_do_celular

Eu_pela_camara_do_celular

EUNAPAZ

EUNAPAZ
SORRISO É O ESPELHO DA ALMA.

EU

DE PÉ E À ORDEM... SEMPRE!

"PROF, FRANCISCO MATTOS OE DO ALFREDO CASTRO E MÁRCIA FRANCESCONI

ENCONTRO DE MAÇONS

ENCONTRO DE MAÇONS

PANÓPTICO VIRTUAL

Boca da Barra - CF

Boca da Barra - CF

Serra do Rio Rastro (http://www.panoramio.com/photo/752018)

Serra do Rio Rastro (http://www.panoramio.com/photo/752018)
O VERDE É LINDO!
Loading...

Arquivo do blog